A não normalidade de Sira ou Arish

“Abondonar tudo e voltar à normalidade:  sim,  sem dúvida era a melhor opção. O problema era que eu já não sabia onde encontrá-la (…). A normalidade não estava nos dias que ficaram pra trás: encontrava-se apenas naquilo que a sorte punha a nossa frente a cada manhã”, nos diz Arish indo para Lisboa em mais uma missão. O romance “O Tempo Entre Costuras”, estreia da desconhecida professora de filologia María Dueñas, chegou quase despercebido às livrarias espanholas em 2009. De boca em boca e com uma ajuda da blogosfera teve sua tiragem esgotada. Hoje,  na 25.ª edição e com 550 mil cópias vendidas, a obra está com direitos comprados em 20 países, sendo 12 de outros idiomas. Li 374 páginas em 3 dias. Devo acabar as 477 da edição da Planeta até amanhã. Estou apaixonada pela força de Sira e Duenãs. Recomendo a leitura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *