Polanski e Allan Poe no domingo

Cada filme que eu faço representa um afastamento para mim. Eu levo tanto tempo para produzir um filme, que quando começo o próximo, já sou um homem diferente.” (Roman Polanski)

Nascido em Paris, em 1933, Roman Polanski já contabilizou diversas tragédias pessoais, mas continua produzindo ótimos suspenses no melhor estilo Polanski de ser. “O escritor fantasma” (2010) manteve o estilo que o faz imperdível. Não é meu filme preferido, de longe. Nem compartilho da maioria, que considera “O bebê de Rosemary” (1968 – foto) sua obra clássica. Gosto mesmo do VHS “O inquilino” (1976) — sem cópia em DVD –, seguido da “A dança dos vampiros” (1967). Não contarei o final de Ghost, mas posso garantir que Polanski manteve seu estilo do começo ao fim. Falando em estilo, o caderno “Ilustríssima” (18/7/2010) traz uma pensata ótima sobre ficção policial, com análise saborosas sobre o estilo narrativo de Allan Poe. Há 30 anos, o historiador italiano Carlo Ginzburg, explicava o gosto do público por histórias de mistério: “elas revelariam a mudança na concepção de conhecimento por que o Ocidente passava no final do século 19”.

Uma ideia sobre “Polanski e Allan Poe no domingo

  1. Desculpe desenterrar esse post, mas tenho um trabalho academia pra realizar e percebi que voce conhece bem Polanski.. Poderia me dar umas dicas sobre o estilo do diretor? Vou precisar gravar um curta ao seu estilo. Obrigado!

    1. Freitas,

      A demora em responder é um resultado da demanda enorme que tenho por entrevistas. Me desculpa não ter respondido logo, sugiro que você procure no banco de teses BOCC (coloca isso mesmo no Google) em língua portuguesa que deve ter algo sobre o diretor. A análise da filmografia dele também vai te ajudar bastante. Não sou especialista em Polanski, sou uma fã.

      abs e bom feriado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *